Salário mínimo 2016: Qual é o novo valor? Quanto aumentou?

Salário mínimo 2016: Qual é o novo valor? Quanto aumentou?

Ano após ano um dos anúncios esperados pelos trabalhadores é o do aumento do salário mínimo. Como normalmente o aumento seja feito apenas para corrigir a defasagem de valor devido à inflação e outras questões e como em 2015 o Brasil se viu em meio a uma crise econômica, pairavam dúvidas sobre o que aconteceria com o salário em 2016. Quer descobrir o que aconteceu? Então confira a seguir como fica o salário mínimo 2016.

Aumento no salário mínimo

Como acontece todo ano, o salário mínimo sofreu um reajuste no começo de 2016. O reajuste, positivo, aumentará o salário mínimo de R$ 788,00 para R$ 880,00. Com isso, há um acréscimo de R$ 92,00 ao valor, o que significa um aumento percentual de 11,6%.

Como a população de baixa renda tende a ser que mais depende do salário mínimo e como a inflação medida em 2015 nessa classe foi de 11,52%, o aumento do salário mínimo de 11,6% representa um ínfimo aumento de poder de compra do trabalhador. Apesar disso, o aumento é importante para evitar que o salário do trabalhador sofra depreciação devido à inflação.

Salário mínimo 2016 x Cortes no orçamento

Em 2015 o Brasil passou por uma crise econômica que provavelmente continuará surtindo efeitos até o final de 2016. Com o descontrole dos gastos públicos, o orçamento do Governo Federal está com um déficit estimado de R$ 50 bilhões.

Devido a esse endividamento foi implantado um programa de ajuste fiscal, com medidas de austeridade a fim de cortar gastos da máquina pública. Alguns benefícios e programas sociais foram cortados, extintos ou suspensos, assim como cargos comissionados e alguns direitos trabalhistas.

Devido a isso, esperava-se que o aumento do salário mínimo 2016 não existisse ou fosse bem menor do que a inflação. Embora onere parcialmente a folha de pagamento, especialmente na iniciativa privada, o salário mínimo 2016 permanecerá com o aumento previsto, que passará a ser recebido em 2016.

Modificações nas obrigações trabalhistas

Mais do que apenas o valor do salário em si, o aumento do mínimo também gera um aumento no valor das obrigações trabalhistas e, portanto, na arrecadação dos órgãos competentes.

Autônomos que contribuem com o INSS, por exemplo, pagam um valor de 11% sobre o mínimo. Com isso, a contribuição que era de R$ 86,68 passa para R$ 96,80.

Quanto às empregadas domésticas, profissionais do ramo que contribuíam para o INSS pagam 8% sobre o mínimo. Anteriormente, o valor era de R$ 63,04 e, agora, de R$ 70,40. O patrão, por sua vez, paga o mesmo valor com o reajuste do salário. No caso de o patrão fazer a contribuição completa, o valor passa de R$ 126,08 para R$ 140,80.

Aumento nos benefícios

Se a contribuição para o INSS por um lado aumentou, também aumenta o valor de pensões alimentícias, seguro desemprego e abono salarial, por exemplo.

Como o seguro desemprego e o abono salarial correspondem a um salário mínimo, eles experimentam o mesmo aumento. Já no caso das pensões o aumento líquido depende de quantos salários são pagos. No caso do recebimento de 2 salários, o aumento é de R$ 184. O recebimento de 5 salários, por sua vez, leva a um aumento de R$ 460 e assim sucessivamente.

O salário mínimo 2016 foi reajustado de modo a compensar os trabalhadores pela alta inflação. De um lado, o seu aumenta leva a um maior poder de compra e benefícios maiores, mas, por outro, também é necessário fazer maiores contribuições para a previdência.

Post Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.