Strattera: Tratamento para TDAH

Strattera: Tratamento para TDAH

O Strattera é um medicamento muito bem aceito no mercado farmacêutico, por apresentar excelentes resultados no tratamento do TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade.

O uso do Strattera é indicado para crianças acima dos 6 anos de idade, adolescentes e adultos. Vale ressaltar que os médicos recomendam que o uso deste medicamento deve acompanhar um tratamento terapêutico que possa abranger todas as necessidades do paciente.

Benefícios do Strattera

1. Não provoca dependência.

2. Ao contrário de outros medicamentos oferecidos pelo mercado, como a Ritalina, o Strattera não funciona como um estimulante.

3.O uso desse medicamento apresenta bastante eficácia ao amenizar e até mesmo eliminar os principais sintomas do TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, os quais são: inquietação, hiperatividade e grande dificuldade de concentração.

4. Ele também atua como um excelente bloqueador da reabsorção de norepinefrina, proporcionando ao cérebro uma significativa melhora dos impulsos de controle, processo fundamental no tratamento dos pacientes com TDAH.

Contra indicações e efeitos colaterais do Strattera

1. Em hipótese alguma deve ser ministrado para crianças menores de 6 anos.

2. O Strattera não deve ser utilizado por pacientes que apresentam hipersensibilidade (alergia) à sua substância ativa (atomoxetina) ou a qualquer das substâncias que acompanham o princípio ativo da fórmula, que são: amido, pré-gelificado (milho), dimeticone, laurilsulfato de sódio, gelatina, dióxido de titânio, óxido de ferro amarelo, vermelho e negro.

3. Os pacientes que apresentam episódios de transtorno bipolar ou que possuam um histórico familiar de transtorno bipolar não devem fazer uso desse medicamento.

4. Não é recomendável o uso desse medicamento nos casos de pacientes com depressão crônica ou indivíduos que apresentam pensamentos suicidas.

5. O Strattera não pode ser empregado em combinação com inibidores da monoaminooxidase (IMAOs). Não é possível usar o Strattera por pelo menos duas semanas após a interrupção da terapêutica com IMAO.

O tratamento com um IMAO deve ser iniciado somente duas semanas após ter ocorrido a suspensão do tratamento com Strattera.

6.Outra contra-indicação do Strattera menciona que este medicamento não deve ser ministrado em doentes com glaucoma de ângulo fechado, já que em alguns experimentos clínicos, o uso do seu princípio ativo (atomoxetina) foi associado a uma maior incidência de midríase (dilatação da pupila).

7.O princípio ativo do Strattera (atomoxetina) não deve ser utilizado em indivíduos portadores de doenças cardiovasculares graves, que incluem: hipertensão grave, insuficiência cardíaca, doença oclusiva arterial, angina, doença cardíaca congénita hemodinamicamente significativa, cardiomiopatias, enfarte do miocárdio, arritmias e canalopatias (perturbações causadas pela disfunção dos canais iónicos).

8. Ele também não pode ser ministrado para indivíduos que possuem enfermidades cerebrovasculares graves, que são: aneurisma cerebral ou AVC.

9. Ele não deve ser utilizado em pacientes que apresentam feocromocitoma ou história de feocromocitoma (tumor originado da porção medular interna).

É válido lembrar que, a primeira providência a ser tomada pelo paciente, deve ser procurar um médico para maiores esclarecimentos quanto ao tratamento mais adequado.

Post Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.